Arquivo da tag: são paulo

O Choro nasce

O Brasil ainda saboreava os primeiros anos da independência de Portugal e o povo buscava novos caminhos para trilhar. E a música de um povo acompanha e faz parte deste processo.

A valsa, o schottisch, a mazurca, a marcha e a polca chegavam aos ouvidos dos amantes da chororo1-450x267música; o acréscimo do tempero brasileiro recriou aqueles produtos estrangeiros e construiu um ritmo novo, refletindo a forma do brasileiro lidar com o mundo.

Por volta de 1870, o choro veio à luz: primeiro como um jeito próprio de interpretar; depois, formou-se como um gênero autêntico, plenamente “verde e amarelo”.

E, para isso, contribuíram músicos como Henrique Alves de Mesquita, Viriato Figueira, Baziza, Pedro de Assis, Saturnino, Juca Kallut, Manoel Joaquim Maria, Cândido Inácio, Chiquinha Gonzaga
e Callado. São alguns dos primeiros chorões que se tem notícia.

 

Confira a música a baixo:

 

 

 

Fonte: Catraca Livre

10 canções essenciais para entender o samba

O samba se subdivide nas mais variadas vertentes: samba batido, samba corrido, samba rural, samba raiado, samba de roda, samba de terreiro, samba de partido alto, samba-canção, samba de gafieira, samba de enredo, samba-rock e etc. Para entender esse gênero tão amplo, o Portal Geledés Instituto da Mulher Negra publicou uma lista de 10 sambas essenciais que o explicam.

Sinho

Sinhô

Organizadas em ordem cronológica de gravação, as canções foram compostas e interpretadas por músicos que marcaram a história da MPB, como Nelson Sargento, Wilson Batista e Ismael Silva. Confira:

donga“Pelo Telefone” (1917), de Donga e Mauro de Almeida
Primeira composição a ser registrada como samba, provavelmente criada em uma roda de batuque, com diversos participantes improvisando versos e melodias.

“Jura” (1929), de Sinhô 
Música marcada pela influência do maxixe.

“Se Você Jurar” (1931), de Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves
Um dos clássico que revolucionaram a música brasileira ao formatar o samba como gênero urbano e carioca.

“Agora é Cinza” (1934), de Alcebíades (Bide) Barcelos e Armando coverMarçal
Foi o campeão do Carnaval de 1934.

“Adeus Batucada” (1935), de Sinval Silva
Interpretada por Carmen Miranda e Mário Reis, a cantora contribuiu com a valorização samba.

noel“A Dama do Cabaré” (1936), de Noel Rosa
Composto em 1934, o samba foi gravado dois anos depois por Orlando Silva fazendo parte da trilha sonora do filme “Cidade Mulher”.

“Se Acaso Você Chegasse” (1938), de Lupicínio Rodrigues e Felisberto MartinslupicinioLupicínio Rodrigues lançou-se nacionalmente com este samba, feitopraticamente de improviso e interpretado por Cyro Monteiro. Além do cantor, o samba ajudou a projetar o nome de Elza Soares, que regravou a música em 1959.

“Acertei no Milhar” (1940), de Wilson Batista e Geraldo Pereira
wilson_batista45015O sonho de ficar milionário com o jogo do bicho inspira este samba de breque com letra escrita sob medida para as brincadeiras vocais de Moreira da Silva. Geraldo Pereira entrou na parceria só para “trabalhar” a música nas rádios.

IsmaelSilva“Antonico” (1950), de Ismael Silva
É um marco na linha evolutiva do samba, uma peça supostamente autobiográfica do compositor que havia começado a revolução no gênero no final dos anos 1920.

“Agoniza, Mas Não Morre” (1978), de Nelson Sargento
Marco da resistência cultural do gênero, inspirado em um drama familiar e gravado por Beth Carvalho.

 

 

Fonte: Catraca Livre

Acadêmicos do Tatuapé terá quadra reaberta nos próximos dias

10268499_737298296290634_7105842627127401579_nDevido a uma ação coordenada pela subprefeitura da Mooca, a quadra da escola de samba Acadêmicos do Tatuapé foi lacrada na manhã da última terça-feira, dia 6 de maio, isso acabou causando uma revolta entre os componentes da agremiação que decidiram protestar em frente da Prefeitura de São Paulo, no centro da cidade.

“O Bairro do Tatuapé assumiu a escola, as empresas vizinhas querem que a quadra continue no mesmo espaço pois se sentem seguros com a agremiação”, diz o Carnavalesco Mauro Xuxa.

Em conversa com o Carnavalesco Mauro Xuxa na manhã de hoje 07/05, ele nos informou que a10256512_737297629624034_1061549169718528470_n Prefeitura atendeu a diretoria da agremiação e que nos próximos dias a quadra será reaberta. Aproveitou também a oportunidade para agradecer todo o apoio dos componentes e da vizinhança e também da Madrinha da escola Leci Brandão que segundo ele mostrou-se solidaria o tempo todo e não mediu esforços para ajudar.

10271522_686631478075673_1713513450941166687_n“Bom gente, para tranquilizar todo mundo estivemos na porta da Prefeitura de São Paulo e a diretoria da Acadêmicos do Tatuapé foi atendida, as coisas estão correndo bem e em breve teremos a nossa quadra de volta. Vamos posicionando as decisões e ações através da página da Escola. Amanhã iremos divulgar um abaixo assinado online para colher assinaturas e contamos com a ajuda de todos. Mais a vez nosso muito obrigado pela confiança e solidariedade”. 

Acompanhe abaixo matéria exclusiva realizada pelo Portal O Carnaval de São Paulo, no vídeo abaixo:

 

Samba da Laje é tradição na Zona Sul de São Paulo

Dona Generosa - Presidente do Samba da Laje

Dona Generosa – Presidente do Samba da Laje

A Comunidade é uma das mais animadas e engajadas rodas de samba de São Paulo.

Desde julho de 1997, as feijoadas com roda de samba são promovidas com a intenção de proporcionar um dia de alegria e descontração à comunidade, assim como divulgar um pouco de cultura do tradicional samba de roda.

Era para ser uma festa familiar das irmãs Silva, mas, sabe como é, na periferia os laços ultrapassam os de sangue, e o samba na casa da Dona Generosa foi crescendo, mais gente chegando, mais água no feijão, mais cerveja no gelo e, quando se deram conta, a laje ficou pequena demais para aquela multidão.

O jeito foi descer para a rua e abrir os braços para quem quisesse chegar. Assim nasceu o Samba da Laje, na Vila Santa Catarina, na zona sul de São Paulo.

sambadalaje1Anteriormente ocorria no último domingo de cada mês, agora ocorre no segundo domingo de cada mês e a ruazinha sem saída vira palco de uma das mais genuínas manifestações culturais da cidade na qual são homenageados grandes compositores do samba de raiz de todos os tempos e que reúne gente de todas as cores, credos e classes sociais para ouvir música de primeira qualidade e saborear a feijoada da Dona Generosa, que é a presidente do Samba da Laje.

A entrada é gratuita, mas quem quiser, pode levar 1 kg de alimento não perecível para ser doado à entidades carentes.

Além da música de primeira, há ainda Feijoada feita pela anfitriã, que é vendida por R$ 10 e é servida a partir das 13 horas.

Local:  Rua Jandi – Vila Santa Catarina – Zona Sul.

Contato c/ Dona Generosa – Tel.: (11) 5566-0345

Assista abaixo o vídeo produzido pelo Sesc TV

GRCES Independente Tricolor mostra luxo no Anhembi

GRCES Independente Tricolor conduziu o enredo Canção Paulistana – Quando a inspiração, a saudade e a esperança juntas cantam por ti, São Paulo com bastante luxo e graciosidade.

IMG_3002

As Composições do abre alas chamaram a atenção da arquibancada que esteve presente em peso durante a apresentação incentivando os componentes na Avenida.

IMG_3016

A Bateria mostra a cadencia pura do consagrado Mestre Adamastor, também Mestre de Bateria da X-9 Paulistana, Escola do Grupo Especial.

IMG_3120

Pelo terceiro ano consecutivo o enredo da Agremiação tricolor foi conduzido pelo Carnavalesco Fabio Gouveia.

Site promove Pré-Carnaval com Bateria da Rosas de Ouro

Pre Carnaval

O Apontador (www.apontador.com.br), maior site de lugares, serviços e facilidades online, e a MapLink (www.maplink.com.br), empresa que fornece informações de alto nível sobre o trânsito, realizam no dia 26 de fevereiro (quarta-feira), uma festa Pré-Carnaval com todos os seus usuários e convidados ao som de ritmos brasileiros, no Bar Vila Seu Justino.

RoseiraA festa terá a participação da bateria da escola de samba vice-campeã do Carnaval de 2013 em São Paulo, Rosas de Ouro, e da banda Samba 90, projeto do músico, compositor e intérprete oficial da escola, Darlan Alves, que já vem animando as quartas-feiras do lounge.

Além disso, terá presenças ilustres prestigiando o evento, como o rapper Xis (da produção de hip hop “Us mano e as mina).

A entrada é livre até às 21h15 para convidados com nome na lista e haverá 1 hora de open bar de Caipirys (caipirinha de Saint Remy), a partir das 20h30. O bar está localizado na Rua Harmonia, 77, no bairro de Pinheiros

“Estes eventos com temas e estilos divertidos são uma forma de agradecimento do Apontador aos seus usuários pelas avaliações e interação em nossa comunidade, o que contribui para o fortalecimento de nossas parcerias com locais e serviços”, afirma Rafael Siqueira, CTO do Apontador.718e1375-4187-42d8-bb70-987d2d3249e3

“A MapLink se une a este tipo de ação do Apontador para também fortalecer e estreitar o relacionamento com seu público, e este evento pré-carnaval é uma boa oportunidade para iniciar o calendário de encontros deste ano”, afirma Frederico Hohagen, diretor comercial da MapLink.

SPTuris lança Censo do Samba Paulistano com homenagem aos 100 anos do Carnaval de São Paulo

Logo 02O ano era 1914. Nascia em São Paulo a primeira escola de samba da cidade – o Grupo Carnavalesco Barra Funda – e também era convocada pela primeira vez a Seleção Brasileira de Futebol. Cem anos depois, o Carnaval de São Paulo tornou-se uma das maiores festas populares do país e a seleção foi campeã mundial nada menos do que cinco vezes. E as coincidências não param por aí. No mesmo ano em que o Brasil receberá a Copa do Mundo, São Paulo também comemora seus 460 anos e os 120 anos desde a chegada de Charles Miller à capital paulista trazendo a novidade deste novo esporte até então desconhecido em terras brazucas: o futebol.

Em homenagem as essas paixões – o samba paulista e o futebol – a São Paulo Turismo (SPTuris, Logo 01empresa municipal de turismo e eventos) lançou nesta terça-feira (18), no Anhembi, a terceira edição do Censo do Samba Paulistano. Com destaque para a história do Carnaval na cidade e também curiosidades sobre sua relação com o futebol, a publicação atualiza ainda informações fundamentais, como a localização das escolas e blocos oficiais, o investimento médio das agremiações na montagem dos desfiles, a utilização de áreas públicas, a ficha técnica de cada escola e um novo Carna-cardiograma, um gráfico que mostra, ano a ano, quem venceu a disputa do desfile desde o seu início no Sambódromo, possibilitando comparar o “sobe e desce” das escolas ao longo dos últimos 22 anos.

215721_382137_capa_censo (1)O grande diferencial desta edição, no entanto, é o inédito “Quem é Quem no Samba Paulistano”, um glossário com mais de mil referências de nomes de pessoas que tiveram grande envolvimento com o samba da capital, como explica o vice-presidente e diretor de eventos da SPTuris, Ítalo Cardoso. “A ideia é homenagear aqueles que contribuíram para o desenvolvimento do Carnaval de São Paulo. São pessoas que se sacrificaram e dedicaram suas vidas a essa grande manifestação artística popular”, diz.

A publicação é conseqüência de um grande levantamento realizado ao longo de dois anos pela equipe do Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris, juntamente a outros consultores. O resultado foi um extenso banco de dados sobre as personalidades marcantes do samba paulistano, que continuará sendo registrado. “O Censo do Samba, a partir desta terceira e histórica edição, torna-se um documento vivo. Qualquer nome que tenha representatividade poderá ser incluído a qualquer momento, já que teremos também uma versão eletrônica do material”, afirma Cardoso.

O Censo (100 anos) do Samba Paulistano está disponível na íntegra no site do Observatório: (www.observatoriodoturismo.com.br) ou ainda no site oficial do Carnaval 2014 de São Paulo (www.cidadedesaopaulo.com/carnaval).

Confira alguns trechos do Censo (100 anos) do Samba Paulistano:

“Em São Paulo, escolas de samba e seleção brasileira dividem mais que a coincidência centenária de dois dos símbolos nacionais – o samba e o futebol. Não são poucas as escolas que nasceram de times de várzea, reforçando a origem democrática das duas manifestações tão marcantes na sociedade brasileira”.

“Em 1914, menos de 30 anos depois da abolição dos escravos, uma família de negros e alguns poucos amigos, liderados por Dionísio Barbosa, foram para a rua, saíram pelo bairro para brincar o carnaval, criando o Grupo Carnavalesco Barra Funda, então com pouco mais de dez integrantes. (…) Uma ousadia, mesmo que diminuta, que destoava no conturbado cenário nacional e internacional”.

“Essas décadas iniciais de criação e organização de cordões – característica da origem do samba de São Paulo – e escolas de samba são marcadas também pela evolução da cidade, que passa a despontar como potência econômica e a receber imigrantes em grande número e negros vindos do interior – de onde trouxeram o batuque, outra marca forte do ritmo do samba paulista”.

“Se hoje as escolas de samba – os últimos três cordões viraram escolas no começo dos anos 70 – têm a necessidade de ocupação de áreas para ensaios (quadras) e produção de alegorias (barracões), é na rua, arrastando o povo e fazendo com que o espaço público seja efetivamente ocupado, que as escolas, blocos e outros tipos de agremiação carnavalesca conseguem se reaproximar de suas origens”.

Confira alguns dados do Censo:

Grupo Especial (14 escolas)
Investimento médio de R$ 2,5 milhões por escola
3 a 3,5 mil componentes em média

Grupo de Acesso (8 escolas)
Investimento médio de R$ 1,2 milhão por escola
2,3 componentes em média

Pessoas que trabalham na preparação dos desfiles de Carnaval nas escolas: aproximadamente 5,4 mil

Ocupação de áreas de São Paulo pelas escolas: 120 locais na cidade (maioria terrenos públicos)

Carna-Cardiograma (maiores vencedoras a partir de 1991):
Grupo Especial: Vai-Vai (8 títulos), Mocidade Alegre (5 títulos), Rosas de Ouro (4 títulos)

UESP realiza coletiva de imprensa para apresentar atrativos do Carnaval 2014

Logo_UESP

Na segunda-feira dia 03 de fevereiro, às 10 horas, a UESP – União das Escolas de Samba Paulistanas promoverá um coffee break em uma Coletiva de Imprensa para apresentar os atrativos do Carnaval 2014, bem como passar algumas informações oficiais.

O credenciamento para a Coletiva de Imprensa inicia-se hoje.  Os interessados deverão enviar um e-mail com os dados e contatos do jornalista, bem como o veículo que representa, para imprensa.uesp@gmail.com

Ainda em tempo, a UESP comunica que Concurso Rainha do Samba e Passista de Ouro teve aLogo UESP_02 data alterada.  Ele acontecerá no dia 1º de fevereiro, no Grande Auditório Elis Regina no Anhembi.
Os candidatos dançarão ao som da bateria da Escola de Samba Mocidade Unida da Mooca e o encerramento será com a Escola de Samba Vai Vai-Vai.

Para esta edição do concurso, o voto popular definirá um eleito para integrar a Corte, sendo assim a presença das torcidas é fundamental.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – UESP

Marianne Ranieri, Musa da Leandro de Itaquera é destaque na TV do Japão

Marianne Ranieri_04Marianne Ranieri_02Capa da revista Sexy e musa da Escola de Samba Leandro de Itaquera, a modelo Marianne Ranieri é convidada da Tv Japonesa NHK, para mostrar em uma matéria os bastidores de um ensaio de sua escola de samba. A loira também contou sobre todo o preparo para o dia oficial do desfile e ensinou como é que os Brasileiros sambam,além de deixar claro que tem que haver um entrosamento com a bateria Majestosa de Itaquera, como é conhecida carinhosamente a bateria da agremiação.

No carnaval de 2014 a escola de samba Leandro de Itaquera terá a incumbência de abrir os desfiles na primeira noite de carnaval, na sexta-feira dia 28 de fevereiro, apresentando no sambódromo do Anhembi o enredo “Ginga Brasil, Futebol é Raça. Em 2014 a Copa do Mundo começa aqui, desenvolvido pelo carnavalesco Marco Aurélio Ruffinn.

Crédito das Fotos: Thiago Duran / AgNewsMarianne Ranieri_05Marianne Ranieri_06

Festa do Chopp da Bateria da Rosas de Ouro

Bateria Rosas de Ouro

A Sociedade Rosas de Ouro realiza neste sábado dia 11 de Janeiro, a primeira festa da bateria, sob o comando do mestre Rafael Oliveira (mestre Rafa), que assumiu em abril de 2013.

Pavilhão_Rosas de Ouro_03A tradicional festa inova e realiza pela primeira vez, a “festa do chopp” com bebida a vontade a noite toda e na compra do ingresso terá direito a uma caneca personalizada.

Os convites já estão à venda na secretaria da Rosas de Ouro, na CD Mania e Duza Cabelereiros.

Ainda abrilhantarão a festa a bateria S/A, a bateria Ritimão da Gaviões da Fiel, ao comando do mestre Pantchinho, e a bateria Pegada de Macaco, da coirmã Vai–Vai, ao comando do mestre Tadeu.

Além disso, haverá show da banda Samba 90, projeto do músico, compositor e intérprete oficial da Rosas de Ouro, Darlan Alves, que resgata o melhor do estilo da década de 90. Sucessos como: Telegrama (Art Popular), Recado à Minha Amada (Katinguelê), Pela Vida Inteira (Kiloucura), entre outros  inesquecíveis serão relembrados pelo grupo. 

A quadra da Rosas de Ouro fica situada a Rua Coronel Euclides Machado, 1066, Freguesia do Ò, Zona Norte e a festa tem início para às 21h.

Os ingressos estão sendo vendido antecipados a R$ 30 e no dia na portaria a R$ 50.

Pontos de vendas antecipados:

- Secretaria da Sociedade Rosas de Ouro

- CD Mania –  Avenida Imirim, 4483, Vila Nova Cachoeirinha / SP.

- Duza Cabelereiros – localizado na galeria 24 de maio, Centro / SP.

Fonte: Lara Schulze – Assessora de Imprensa